A paleta utilizada nos tecidos da coleção Larco 2017 explora tons que transitam pelos neutros e sóbrios e materiais resistentes ao dia a dia

Os tecidos que envolvem os produtos da coleção Identidade Larco não partem de uma mera escolha estética. O visual tem que agradar, mas junto com o fascínio dos olhos, o toque também deve ser acolhedor e vestir, assim como uma roupa, o corpo que o vai sustentar.

O tecido é o arremate final do produto, que assenta a postura do móvel ao uso. Tem material para cada ocasião, assim como os looks do dia, no mobiliário a cor também entra na composição. Para a coleção 2017 da Larco a aposta é nos tons neutros e sóbrios, que partem do branco, off white, passam pelos beges, cinzas levados até a máxima saturação do chumbo, grafite e marrom.

“Trabalhamos com uma enorme variedade de matizes e texturas. Sem contar os lançamentos do mercado como os tecidos laváveis com alta performance e elaborados com fibras especiais que deixam os materiais praticamente inalteráveis, fáceis de limpar e duráveis”, conta Nilce Vanelli do departamento criativo da Larco.

Ela também pontua os novos couros sintéticos bastantes resistentes, que adornam algumas das peças da nova coleção criando graciosos detalhes. Como é o caso das bases das mesas Boniê, as costas das poltronas Celestina, Marratxi, sofá Madero e a capa do sofá Umê, que forra o produto de ponta a ponta.

Qual o tecido ideal?

Todos as poltronas e sofás da Larco são personalizados, porém é importante observar qual será o papel da peça na rotina da casa. Se o destino for a sala de TV, por exemplo, o ideal é investir num tecido mais resistente – como os laváveis, couros sintéticos e camurças. E deixar os tramados com fios mais nobres – aí entra a seda e os veludos – para as almofadas e pequenas peças como poltronas e pufes.

 

DSC_2136